Fandom

Wiki AIA 13-17

Análise Gráfica - Normas e Interpretação

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editora: Bruna da Silva Ferreira

Colaboradores: Augusto Radünz do Amaral, Felipe Starling Jardim e Fernanda Cristina Zanotti

IntroduçãoEditar

O estudo da epidemiologia abrange inúmeros objetivos, entre eles insere-se a descrição da magnitude, da tendência e da distribuição dos problemas de saúde em populações humanas. A análise de dados na epidemiologia refere-se à sumarização de dados populacionais para a obtenção de medidas ou imagens através de gráficos e mapas, por exemplo, que facilitem ou permitam a interpretação dos dados e desse modo se viabilize a produção do conhecimento desejado. Portanto, percebe-se a importância da análise gráfica para a melhor obtenção de informações que auxiliem no planejamento de estratégias para o controle de problemas de saúde em determinada população.     

Características gráficas importantesEditar

As informações dadas a seguir são importantes para a correta análise e construção de gráficos que ampliem o conhecimento a ser adquirido.

O que é importante VER em um gráfico?

•    Padrão: Tendência central;
•    Variação: Dispersão em torno da tendência central;
•    Tendência: Somente para desagregação em escalas paramétricas (distribuição normal) ou ordinais (a variável utilizada para medir uma característica identifica que é pertencente a uma classe e que as classes estão ordenadas em um ranking, exemplo disso é a escala social).

Como o gráfico é uma forma de comunicação, esse deve estar claro apresentando título, poucas informações e comparação. Além disso, deve-se indicar a origem dos dados (reprodutibilidade).

Seguindo esse princípio de clareza o título do gráfico deve possuir algumas informações essenciais:
•    O que está sendo medido, qual a escala, qual a desagregação;
•    Onde é o local de referência;
•    Quando é o período de referência;
A fonte do gráfico também deve possuir alguns detalhes como:
•    Base de dados utilizada ou texto consultado;
•    Gerente da base de dados (responsável pela compilação dos dados ou o autor do texto);

Principais tipos de gráficoEditar

Gráfico de colunas:

Gráfico de Colunas.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)










São aplicáveis tanto quando a escala implica numa ordem (ex. meses do ano, escolaridade, idade) como quando não implica (ex. bairros, profissões, raças);
Exemplos: coeficiente de mortalidade por faixa etária, coeficiente de mortalidade por ano.

Gráfico de barras

Gráfico de Barras.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)









São aplicáveis tanto quando a escala implica numa ordem (ex. meses do ano, escolaridade, idade) como quando não implica (ex. bairros, profissões, raças);
Exemplos: coeficiente de mortalidade por faixa etária, coeficiente de mortalidade por ano.

Gráfico de linhas

Gráfico de Linhas.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)













Podem ser usados apenas se a escala da variável representada implica numa ordem (ex. meses do ano, escolaridade, idade). Portanto a presença, no eixo x, de escala nominal ou dicotômica não permite o seu uso.
Exemplos: coeficiente de mortalidade por faixa etária, coeficiente de mortalidade por ano.

Gráfico de setores (pizza)

Gráfico de Setores.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)










São indicados para representar proporções.           

Exemplo: total de mortes por faixa etária (gráfico de coluna ou barras podem ser utilizados, mas são prejudicados por se tratar de números absolutos).

RecomendaçõesEditar

Segue abaixo algumas recomendações sobre a utilização de gráficos:


•    Na dúvida, utilize gráfico de barras;

•    Moderação no uso de três dimensões:

Gráfico 3D.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)












•    Use poucas cores:

Gráfico (poucas cores).png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)











•    Mostre os eixos (com escala e título):

Gráfico (escalas e título).png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)









•    Adote um mesmo valor máximo nos vários gráficos com a mesma escala:

Gráfico (mesmo valor máximo).png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)










•    Não “ampute” os eixos, caso isso ocorra, avise;


•    Não use dinógrafos;


•    Não use pictogramas:

Pictograma.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)










•    Evite coluna de total com indicadores absolutos e proporções.

Gráfico (coluna de total).png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)











Usos inadequados da apresentação gráficaEditar

•    Apresentação 3D:


3D.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)









•    Iconográfico:

Iconográfico.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)














•    Múltiplas desagregações:

Gráfico MD.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)











Recomendações adicionaisEditar

Além dessas recomendações pode- se ressaltar outras, como:
•    Título sucinto demais;
•    Termos difíceis;
•    Eixos sem escalas;
•    Amputar eixos;
•    Muitas cores (procurar agrupar);

Elementos gráficos Editar

Para melhor compreensão dos elementos de um gráfico, segue um exemplo:

Exemplo elementos gráficos.png

Fonte: Guilherme Lima, 2013 (Anotações da Aula)










Eixos:
•    y: pode possuir escala discreta ou contínua;
•    x: pode possuir escala discreta, contínua, nominal, dicotômica e ordinal;

No exemplo acima, têm-se no eixo y uma escala contínua e no eixo x uma escala dicotômica,que é um subgrupo da nominal, mas no exemplo é mais plausível utilizar o termo dicotômica..

Desagregação: Classificação dos eventos segundo categorias. No exemplo, destacam-se duas desagregações, sendo idade e preferência. Ou seja, é a maneira de você discriminar os indivíduos.

Categorias: Caracterizadas como subtipos, detalhamentos, classificações, que podem ser usadas como variáveis em gráficos. O eixo x pode conter diversas categorias, como: valores, faixas etárias, anos, meses, dias da semana, localidades geográficas, etc. No caso, no eixo x, a proporção dos indivíduos está dividida em  duas categorias (opinião e informação jornalística), e na legenda os indivíduos estão divididos em faixas etárias, possuindo, portanto, mais três categorias.

Série: É a forma de você apresentar no gráfico uma desagregação adicional ao eixo x, utilizando cores, tipo de linha, etc..., referenciadas através de legenda. O número de séries é o mesmo que o de categorias na desagregação apresentada na legenda.

Fonte: Base de dados, gerente de dados.

Referência Bibliográfica: Importante para questionar dados duvidosos, abster-se da responsabilidade de afirmações questionáveis.

A fim de fixar o conteúdo em questão segue abaixo os constituintes do título de um gráfico:
•    Objeto;
•    Escala;
•    Desagregação (eixo x, legenda);
•    Local (de referência, no caso não o local que o gráfico está sendo produzido, mas sim o local da pesquisa);
•    Período (de referência, no caso não o período que o gráfico está sendo produzido, mas sim o período da pesquisa).

Referências Editar

1 - FERREIRA, Bruna Silva. Anotações da aula da Disciplina de Epidemiologia Geral. UNIVILLE. 22/05/2013.

2 - FLETCHER, Suzanne W., FLETCHER, Robert H. Epidemiologia Clínica - Elementos Essenciais. 4 ed: ARTMED, 2006.

3 - ROUQUAYROL, Maria Z. Epidemiologia e Saúde. 5 ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1999.

Links externosEditar

1 - Tipos de Gráficos Estatísticos

2 - Manual de Normas Gráficas

3 - Gráficos

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória