Fandom

Wiki AIA 13-17

Fase Anal, Idade pré-escolar

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editor: Nicolas Dominico

Colaboradores: Ana Santin, Jessé Lana, Leandro Rosin, Renata Dal Bó Mazzuco

Desenvolvimento Humano ao longo do Ciclo Vital - De 1 a 3 anos de idade

Desenvolvimento Linguístico e CognitivoEditar

DevPic-1-.gif

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://3.bp.blogspot.com/-exp4w-vssSU/TbLg-5do0VI/AAAAAAAAABI/PJyDy6j0ofI/s200/devPic%25255B1%25255D.gif&imgrefurl=http://psicologiad14.blogspot.com/2012/06/desenvolvimento-cognitivo-jean-piaget.html&h=200&w=181&sz=29&tbnid=FNfFTa5IoBreyM:&tbnh=90&tbnw=81&zoom=1&usg=__k_fOb7-cvi9ASFLgH0G5GI7hsaI=&docid=T3CksqeZNsF7mM&sa=X&ei=ODOOUpLUDcrWkQfzuIGwBA&ved=0CDwQ9QEwBA

A criança produz ruídos, sons guturais ou murmúrios  ocorrem de forma espontânea. Além disso, a persistência e evolução das vocalizações dependem do esforço parental. Aproximadamente aos 2 anos os reflexos se tornam voluntários, elas passam a interager com o ambiente, experimentando feedbacks de seu próprio corpo e manifestam intenção c

om as ações. Ao final do 2º ano fazem uso da linguagem e brincadeiras simbólicas.

Desenvolvimento LinguísticoEditar

Dos 12-18 meses a criança utiliza uma palavra para expressar uma ideia completa (frase), o que chamamos de: “palavra-frase”.  Exemplo:“Bola”. Aos 18 – 20 meses a frase poderá conter duas ou três palavras (já observamos a estrutura verbal correspondente ao português). Exemplo: “Medo au-au gande”. Aos 2 anos ocorre intenso desenvolvimento da linguagem oral. A criança, geralmente, inicia a construção de seu vocabulário não produzindo corretamente todos os sons da fala, exemplo: a criança diz:  “Cassoo!” (apontando para o cachorro) e o adulto: “Estou vendo. Que cachorro bonito!”. Aos 3 anos iniciam-se as interrogativas: Porquê? O que é?  

Desenvolvimento EmocionalEditar

12-18 meses: afeto suave, vergonha (18 meses)

24 meses: orgulho

3-4 anos: culpa, inveja

Insonia infantil1 18811284256522.jpg

http://www.google.com.br/imgres?sa=X&espv=210&es_sm=93&biw=1360&bih=623&tbm=isch&tbnid=ckj79FzcxxATcM:&imgrefurl=http://psicologavaleria.blogspot.com/2013/11/ansiedade-de-separacao-criancas.html&docid=sYYFj37PL4bkQM&imgurl=http://1.bp.blogspot.com/-yW9d86ox0Tk/UoPkft9w_YI/AAAAAAAAAKY/Df_yqYANtms/s1600/insonia_infantil1_18811284256522.jpg&w=528&h=307&ei=qjOOUs7DOIXqkQf7nIDYAw&zoom=1&ved=1t:3588,r:2,s:0,i:85&iact=rc&page=1&tbnh=170&tbnw=264&start=0&ndsp=16&tx=100&ty=85

Ansiedade com EstranhosEditar

Inicia na 26 semana de idade, desenvolvido completamente com 32 semanas, como reação choram e se agarram na mãe. Apresentam ansiedade de separação aos 10-18 meses, ocorre com a separação da pessoa por quem o bebê tem apego. Quando começa engatinhar e se afastar da mãe, ele começa aprender a se separar

Segundo ano de vidaEditar

É marcado por desenvolvimento motor e intelectual avançado, o caminhar permite que elas determinem quando devem se aproximar ou se retrair. Com isso, o negativismo é vital para o desenvolvimento da independência e a aquisição da fala amplia os horizontes.

Desenvolvimento Emocional e SocialEditar

No 2° ano desenvolve-se o referenciamento social, a criança observa os pais e pessoas ao redor em busca de pistas sobre como responder a eventos novos. Ela também desenvolve excitação exploratória, prazer assertivo e interesse em novos comportamentos, além da capacidade de demonstração de amor e de protesto. Aí têm-se a ansiedade como fator de desorganização.

Cuidados ParentaisEditar

Exige-se firmeza com relação aos limites do comportamento aceitável e encorajamento para a emancipação progressiva da criança, os pais ou cuidadores devem permitir que a criança aprenda com seus erros. Além disso, a criança luta pelo afeto e atenção exclusiva dos pais. Contudo, exigências de posse exclusiva não são resolvidas geram competição ciumenta em relacionamento com amigos e parceiros amorosos e, fantasias motivada pela disputa geram medo de retaliação e ao deslocamento do medo para objeto externo, entretanto, uma família justa e carinhosa gera uma criança com sistema moral de direitos éticos. Vale ressaltar que os pais devem equilibrar punição e permissividade, e estabelecer limites realistas.

Desenvolvimento SexualEditar

A diferenciação sexual é perceptível desde o nascimento, quando os pais vestem e tratam os bebês de forma diferente e, por meio de imitação e recompensas as crianças assumem seus perfis sexuais, elas manifestam curiosidade sobre o sexo anatômico, quando recebem respostas apropriadas sentem-se confortáveis com seus próprios papéis. Contudo se o tema é um tabu e as questões são rejeitadas, podem gerar vergonha e desconforto.

A convicção firme de ser homem ou mulher começa a se manifestar aos 18 meses e se estabelece por volta dos 24 a 30 meses. Acreditava-se que a identidade de gênero era função da aprendizagem social. Baseado nisso, John Money relatou casos com crianças com órgãos genitais defeituosos que foram criados como o sexo oposto do cromossômico: O seguimento em longo prazo desses indivíduos sugere que a maior parte da identidade de gênero é inata, com isso, há expectativas para meninos e meninas acerca do que e com quem brincar, tom de voz, expressão de emoções e maneira de se vestir.

As mães falam mais com as meninas, e quando o menino está com 2 anos, os pais falam mais com os meninos, mesmo pais que são determinados a educar filhos não sexistas, notam a preferência de seus filhos por brinquedos estereotipados

Controle dos EsfíncteresEditar

Fase Anal Editar

Período de exigências sociais crescentes para a criança em que áreas de tensão e gratificação são trazidas à consciência, esse controle dos esfíncteres ocorre entre 2-4 anos;

       Controle da micção diurna - completo com 2 anos e meio;

       Controle das fezes;

       Controle da micção noturna – completo com 4 anos;

O treinamento para o uso do toalete desperta um interesse natural pela autodescoberta. Já o controle fisiológico é ligada à percepção de que esse controle é uma nova fonte de prazer e domínio:

       Propriedade em relação aos seus excrementos, enquanto objeto de troca;

       Pode ser usado como uma arma contra os pais;

       Fezes podem ser oferecidas como presente ao mundo.

As crianças aprendem com rapidez que o crescente nível de controle lhes traz atenção e elogios por parte de seus pais, porém existe uma contradição de “Elogio e o reconhecimento X ideia de que ir ao banheiro é "sujo“.”

Nenhuma área da vida contemporânea é tão carregada de proibições e tabus como a área que lida com o treinamento da higiene e comportamentos típicos da fase anal. Com isso, o “Caráter Anal” tem relação de fixação parcial na fase anal, surgindo em ordem, parcimônia e obstinação.

SonoEditar

Sleep-1-.jpg

http://www.google.com.br/imgres?sa=X&espv=210&es_sm=93&biw=1360&bih=623&tbm=isch&tbnid=_TBm8UZSCmLW8M:&imgrefurl=http://www.imagick.org.br/zbolemail/Bo07x11/BE11x05.html&docid=yI6Yqor0R7-cbM&imgurl=http://www.imagick.org.br/zbolemail/Bo07x11/sleep%255B1%255D.jpg&w=650&h=440&ei=DzSOUvDJKYu2kQeuyoGgDg&zoom=1&ved=1t:3588,r:0,s:0,i:88&iact=rc&page=1&tbnh=185&tbnw=273&start=0&ndsp=10&tx=143&ty=75

Dificuldade para dormir está relacionada ao medo do escuro, contudo, a maioria dorme em torno de 12h por dia, incluindo 2h após o almoço. Por isso, existe a necessidade de tranquilizar a criança antes de ir para cama, já aos 2 anos, a criança demora cerca de 30 minutos para iniciar o sono.

Período pré-escolarEditar

Há um grande crescimento físico e emocional. Pelos 2 e 3 anos de idade , ela tem metade da altura que terá quando adulta. Por volta de 5, 6 anos é um período em que estão prontas para frequentar a escola e coincide com a troca de dentição, também existe, nessa fase, controle dos esfíncteres, ela consegue vestir-se e alimentar-se e tem um maior controle emocional.

Quanto ao desenvolvimento linguístico e cognitivo, as crianças começam a pensar de forma simbólica, porém  com pensamento egocêntrico, ou seja, são incapazes de sentir empatia, também possuem pensamento intuitivo.

No comportamento social e emocional, as emoções são influenciadas por eventos somáticos como fome e cansaço. Embora pense de maneira egocêntrica essa é a fase de aprender a cooperar, também desenvolve  expansividade, curiosidade, orgulho e alegria versus timidez , introversão, medo, ciúme e inveja.

Também nesse período, existe o comportamento social e emocional, que se caracteriza dos 3 a 6 anos, onde têm consciência de seus corpos, órgão genitais e a diferença entre os sexos, também têm uma preocupação com doenças ou lesões – fase do “band-aid”.

Até perto dos 7 anos as crianças experimentam regras como absolutas, não entendem que pode haver mais de um ponto de vista sobre uma questão moral. Existe aí a rivalidade entre irmãos:

       O nascimento de um irmão põe a prova a capacidade da criança em idade pré-escolar de compartilhar, mas também pode evocar rivalidade entre os irmãos, o que é mais provável

Quanto às brincadeiras, começam a praticar jogos de fingir, onde testam a vida real de maneira lúdica. Nas brincadeiras as crianças representam um papel (dona de casa ou um motorista de ônibus). Entre 2 e 3 anos as brincadeiras são paralelas, sem interação. Já por volta dos 3 anos: associativas, brincar com o mesmo brinquedo. Com 4 anos as brincadeiras são cooperativas, também existem interações reais e alternância da vez de brincar.

Os desenhos estão presentes na fase dos 3 a 6 anos, elas expressam a criatividade e refletem os conceitos de imagem corporal e impulsos sexuais agressivos. Também existem os amigos imaginários:

       Estudos indicam que 50% das crianças de 3 a 10 anos têm amigos imaginários em algum momento. Seu significado ainda não está claro, mas são figuras que aliviam a solidão e a ansiedade. Na maior parte dos casos, desaparecem por volta dos 12 anos.

Quanto ao papel da televisão, estudos recentes comprovam uma correlação entre o fato das crianças verem muita violência na TV e o desenvolvimento de agressividade. O excesso pode interferir na alfabetização.

Referências

SADOCK, Benjamim James; SADOCK, Virginia Alcott. Compêndio de psiquiatria: ciências do comportamento e psiquiatria clínica. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Sigmund Freud e a Psicanálise. Disponível em: <http://www.psiquiatriageral.com.br/psicoterapia/freud4.ht>. Acesso em 11/11/2013

Psicanálise com crianças: considerações sobre o sintoma de encoprese. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S0100-34372012000100002&script=sci_arttext>. Acesso em: 11/11/2013 

Links Externos

1- http://www.plenamente.com.br/desenvolvimento-humano.php (acessado dia 21 de novembro de 2013)

2- http://books.google.com.br/books?id=1uCV9Jr1eEwC&pg=PA194&lpg=PA194&dq=psicologia+m%C3%A9dica+crian%C3%A7a+1+a+3+anos&source=bl&ots=807t-cF38c&sig=5sBHuqgW6q5cmfmhO49gFJl2nwQ&hl=pt-BR&sa=X&ei=oiuOUsXaFoirkAeo2ID4Cg&ved=0CDUQ6AEwAQ#v=onepage&q=psicologia%20m%C3%A9dica%20crian%C3%A7a%201%20a%203%20anos&f=false (acessado dia 21 de novembro de 2013)

3- http://www.scielo.br/pdf/rbem/v36n3/20.pdf (acessado dia 21 de novembro de 2013)

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória