Fandom

Wiki AIA 13-17

Hormônios Masculinos e suas funções

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editor: Lucas Andrei MuehlbauerEditar

Colaboradores:Tiago Vasconcelos Xavier, Kurt Neulaender Neto, Rafael Koerber, Giórgio Tondello, Carlos Ehrl

Andrógenos:Editar

Os testículos produzem grande quantidade de hormônios andrógenos, ou seja, que causam efeitos masculinizantes. Esses hormônios são hormônios esteroides (sintetizados a partir do colesterol ou diretamente da Acetil-coenzima A), produzidos por células intersticiais de Leydig, e dentre os principais andrógenos secretados, encontram-se: Testosterona (a mais abundante), diidrotestosterona, androstenediona.

Lembre-se: Hormônios esteroides não são armazenados devido sua natureza lipossolúvel, sendo assim, ao serem produzidos difundem-se pela membrana celular.

Além das células intersticiais de Leydig, ocorre à produção de outros hormônios andrógenos em outras partes do corpo, como nas glândulas adrenais, esta contribui pouco, menos de 5% do total no homem adulto, entretanto é suficiente para causar o crescimento de pelos púbicos e axilares na mulheres. Em casos de tumores adrenais em mulheres, as quantidades de produção desses hormônios podem estar aumentadas, causando efeitos masculinizantes.

Metabolização da testosterona:Editar

Após a secreção da Testosterona (como já dito, o andrógeno produzido em maior quantidade) liga-se fortemente a uma proteína plasmática denominada globulina de ligação dos hormônios sexuais, e fracamente a albumina, 3% encontra-se na forma livre (ativa). Atingindo seus tecidos alvos, ou sendo degradada principalmente pelo fígado, produzindo metabólitos inativos, os quais serão eliminados pela bile e urina.

Ao atingir o tecido, a testosterona por ser um hormônios esteroide, atravessa a membrana plasmática com facilidade, e já no interior da célula grande parte é convertida em diidrotestosterona, principalmente em órgãos alvos como a próstata.

Testosterona e suas funções:Editar

No desenvolvimento fetal: É essencial para o desenvolvimento das características masculinas, como o pênis e bolsa escrotal, caso não haja a produção de testosterona, mesmo o código genético sendo 44 XY, não há formação dos órgãos sexuais masculinos, e sim o feminino. 

É necessária para a descida dos testículos que ocorre nos últimos 2 a 3 meses de gestação.

Causa crescimento de pêlos em diversos locais como: púbis, tórax, face, axilas, etc.

Grande produção pode causar calvice, aproximadamente 50% relacionado à produção de testosterona e 50% por causas genéticas em homens.

Aumenta a textura da pele, e aumento da secreção sebácea, culminando em acne. Após anos, a pele se adapta, superando a acne.

Estimula a espermatogênese juntamente com o FSH.

Efeito hidroelétrico: Pode aumentar a reabsorção de sódio nos túbulos distais, sendo que homens possuem 5 a 10% a mais que o sexo feminino em seu volume do liquido extracelular, isso em relação a seu peso.

Provoca hipertrofia na mucosa da faringe, deixando a voz mais grave. Isso é facilmente observado em adolescentes, momento este que ocorre o fenômeno.

Aumento da síntese proteica: Efeito anabólico, com aumento médio de 50% da massa muscular masculina comparado ao sexo feminino. Acompanhado do aumento do metabolismo basal.

Aumento de eritrócitos: pode-se observar 700.000 eritrócitos por milímetro cúbico a mais do que em mulher, princip efeito esse mediadoa lmente pela testosterona. Esse efeito deve-se ao aumento do metabolismo, e não diretamente ao efeito da produção de eritrócitos.

Feedback.gif

http://stef-0107.no.comunidades.net/index.php?pagina=1323301333

rre em todos os túbulos seminíferos, segue se na imagem ao lado, uma visão abrangente sobre a anatomia do órgão masculino.

espermatogênese é o processo de formação de gametas, para a reprodução humana. O processo inicia por células epiteliais germinativas (espermatogônia), que ao cruzar a barreira da camada de células de Sertoli, sofreram mudanças por estímulos, aumentando de tamanha e formando Espermatócitos Primários, cada espermatócito primário divide-se em seguida em dois Espermatócitos segundários. Após alguns dias, os espermatócitos secundários dividem-se em duas espermátides, é nesse momento que ocorre a divisão dos cromossomos 44+XY, em 22+X e 22+Y. As espermátides se modificam formando os espermatozoides. Esse mecanismo é ilustrada esquematicamente com mais detalhes na figura ao lado.

A espermatogênico é estimulada por diversos fatores, dentre eles destacam-se:

Testosterona: estimula crescimento e à divisão das células germinativas

LH: Estimula secreção de testosterona, e consequentemente ocorre o fato citado acima.

FSH: Estimula as células de Sertoli, imprescindíveis na conversão de espermátide em espermatozoide. 

As células de Sertoli sintetizam estrogênio a partir da testosterona, e este é essencial para a espermatogênese. hGH: essencial para controlar a atividade metabólica dos testículos.A espermatogênese apresenta um controle de feedback negativo, por um hormônio produzido pelas células de Sertoli, o Hormônio Libina. Este hormônio possui efeito direto sobre a hipófise anterior.

Esperamatozoide.jpg

http://www.infopedia.pt/mostra_recurso.jsp?recid=8505&docid=496300

Característica do espermatozoide:Editar

Composto por 22 cromossomos autossômicos e um sexual.

Acrossoma: localizado no lado externo, nos dois terços anteriores, formado a partir do complexo de golgi, contém enzimas que desempenham papel importante na fertilização do óvulo.

Cauda/Flagelo: Três componentes: esqueleto central (axonema), Membrana que recobre o axonema, e mitocôndrias que circunda o axonema. Essas mitocôndrias são essenciais para a movimentação do espermatozoide, pois essa que sintetiza o ATP necessário para a movimentação.

Os espermatozoides após formados encontram-se imaturos, imóveis e necessitam de um processo de maturação que leva aproximadamente 24horas. Após o processo de maturação os espermatozoides já apresentam capacidade de motilidade, embora várias substâncias empeçam sua movimentação até mesmo pouco depois da ejaculação.

A produção de espermatozoides em homens adultos chega a 120 milhões por dia. Esses são armazenados no epidídimo e canal deferente. Os espermatozoides tornam-se móveis após a ejaculação devido a substâncias mediadoras que são secretadas juntamente com os espermatozoides.O volume total de espermatozoides em uma ejaculação é de 10% do volume ejaculado.

Vesícula seminal:Editar

Secreta cerca de 60% do volume ejaculado. Sua secreção é de suma importância para a nutrição do espermatozoide, sendo constituída de frutose, ácido cítrico e outras substâncias nutritivas, além de prostaglandinas e fibrinogênio. Confere o aspecto mucoide do sêmen.

Wikiarepmasc.gif

http://www.afh.bio.br/reprod/reprod1.asp

Próstata:Editar

Secreta cerca de 20% do volume ejaculado. Sua secreção é contém cálcio, íons fosfato e citrato, enzima de coagulação, pró-fibrinolisina. A secreção é levemente alcalina, muito importante para a fertilização. O liquido prostático confere aspecto leitoso ao sêmen

Atividade Sexual e estímulos nervosos:Editar

A glande do pênis possui um sistema sensorial especial, ao excitar essa área os impulsos são transmitidos ao nervo pudendo e seguem ao plexo sacral.

A ereção do pênis ocorre por estímulo Parassimpático, acredita-se que esse estímulo cause a liberação de Oxido Nítrico e outros agentes vasodilatadores artérias peniano, sendo que o pênis é um órgão constituído de grandes sinusóides cavernosos (dois corpos cavernosos e um esposnjoso), que em condições normais encontram-se relativamente vazios, e a ereção é resultado de seus enchimentos bem como a oclusão parcial das vênulas.

A ejaculação e emissão ocorrem por estímulo Simpático, que partem a medula em T12 á L2.

Referências:Editar

MUEHLBAUER,Lucas Andrei. Anotações da disciplina de Fisiologia. Univille 2013.

HALL, John E.; GUYTON, Arthur C. Tratado de Fisiologia Médica. Elsevier, 12ª edição, RIO DE JANEIRO, 2011.

CONSTANZO, Linda S. Fisiologia. Guanabara Koogan, 4ª edição, RIO DE JANEIRO, 2008.

JUNQUEIRA, Luiz C.; CARNEIRO, José. Histologia Básica, Guanabara Koogan 11ª edição, RIO DE JANEIRO, 2008.

Links Externos:Editar

http://fisiologiaunifor.blogspot.com.br/2007/05/sistema-reprodutor-masculino.html

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAvggAL/fisiologia-reprodutiva-masculina

http://www.youtube.com/watch?v=hU5It5Hc4Ls

http://www.youtube.com/watch?v=n8hOyHUIohs

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória