Fandom

Wiki AIA 13-17

Papilomavírus humanos (HPVs)

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Compartilhar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editora: Thais Yuri Miura

Colaboradoras: Elisa Correia e Laíssa Mara R. Teixeira

IntroduçãoEditar

Os papilomavírus pertencem à família Papillomaviridae. São vírus pequenos, não envelopados, de capsídeo icosaédrico e com DNA circular de fita dupla. Induzem a lesões epiteliais no hospedeiro e possuem especificidade para epitélios e membranas mucosas, sendo que cada grupo de tecido específico tem potenciais variáveis de causar neoplasias.

Pequeno grupo - lesões de alto risco para neoplasia maligna de colo de útero.

• Outro grupo - lesões mucosas de menor grau de malignidade (condiloma e papiloma de laringe).

• Outros - lesões benignas – verrugas.   

Estrutura e replicaçãoEditar

Mais de 100 tipos foram identificados e classificados em 16 grupos (A até P), baseado nas diferentes sequências de bases DNA. E pode ser diferenciado como cutâneo ou de mucosas. 

Esse DNA circular do HPV codifica 8 genes precoces (E1 a E8) e 2 genes tardios ou estruturais (L1 e L2). Todos esses genes se localizam na fita positiva. 

A replicação do HPV é controlada pela maquinaria de transcrição da célula hospedeira e é determinada pela diferenciação do epitélio da pele ou mucosa. Os genes precoces estimulam a multiplicação celular, o que facilita a replicação do genoma viral pela DNA polimerase da célula hospedeira. O aumento do número de células provoca espessamento das camadas basal e espinhosa (gera verrugas ou papilomas). Segundo a diferenciação da célula basal, os fatores nucleares específicos expressos nas diferentes camadas e tipos de pele e mucosa promovem a transcrição de genes virais. Os genes tardios que codificam proteínas estruturais são expressos somente na camada superior diferenciada, sendo o vírus montado no núcleo. O vírus atravessa as camadas da pele e vai ser liberado juntamente com as células mortas da camada superior.

PatogêneseEditar

Verruga.jpg

Formação de verruga. Fonte: MIURA, Thais Y. Anotações da aula da disciplina Microbiologia e Parasitologia. UNIVILLE. 04/10/13.

Replicam-se no epitélio escamoso da pele (gerando verrugas) e das mucosas (gerando papilomas genitais, orais e conjuntivais), induzindo à proliferação epitelial. Têm especificidade por células epiteliais e dependem do estado de diferenciação da célula epitelial do hospedeiro. 

20131005 135425.jpg

Mecanismos patológicos. Fonte: MURRAY, Patrick R.; ROSENTHAL, Ken S.; PFALLER, Michael A. . Microbiologia médica. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2006 979 p

Formação de verrugas: resulta da multiplicação celular e da diferenciação induzidas por proteínas precoces do HPV (as células infectadas migram da camada basal para superfície). O vírus se replica junto com as etapas de diferenciação dos queratinócitos, formando os coilócitos (característicos da infecção por papilomavírus). A infecção viral permanece localizada e regride espontaneamente, mas pode recorrer (o HPV pode suprimir respostas imunes protetoras). Nesse sentido, destaca-se que as respostas inflamatórias são necessárias para ativar respostas citolíticas protetoras e promover a resolução de verrugas. Portanto, indivíduos imunossuprimidos apresentam recorrências e apresentações mais graves de infecções por papilomavírus. 
Ainda, o DNA viral é encontrado em tumores benignos e malignos, especialmente papilomas de mucosas. Os tipos HPV-16 e HPV-18 causam papilomas e displasia cervical, sendo que pelo menos 85% dos carcinomas cervicais contêm DNA de HPV integrado. A quebra do genoma circular nos genes E1 ou E2 faz com que esses genes sejam inativados, impedindo a replicação viral sem impedir a expressão de outros genes do HPV, como os genes E6 e E7, que são oncogenes (porque se ligam às proteínas supressoras de multiplicação celular p53 e p105). E6 liga-se à proteína p53 e marca-a para degradação e a E7 se liga à p105. 

EpidemiologiaEditar

HPV resiste à inativação e a liberação assintomática pode promover a transmissão. A infecção por HPV é adquirida por contato direto através de pequenas rupturas na pele ou mucosa, contato com superfície contaminada, durante o ato sexual ou transmissão mãe-filho pelo canal de parto.

Verrugas plantares e planas são muito comuns em crianças e adultos jovens. Papilomas laríngeos ocorrem em crianças pequenas e adultos de meia-idade.

O papilomavírus é a doença sexualmente transmissível mais prevalente no mundo. O HPV está presente em 99,7% de todos os cânceres cervicais e 80% dos casos de câncer anal estão ligados a infecções genitais com HPV. HPV-16, HPV-18, HPV-31, HPV-45 são tipos de alto risco, já HPV-6 e HPV-11 de baixo risco para o carcinoma cervical (é a segunda causa de morte por câncer em mulheres). Múltiplos parceiros sexuais, tabagismo, historia familiar de câncer cervical e imunossupressão são os principais fatores de risco para a infecção e progressão ao câncer. 

Síndromes clínicasEditar

VerrugasEditar

Hpv.jpg

Síndromes clínicas associadas a Papilomavírus. Fonte: MIURA, Thais Y. Anotações da aula da disciplina Microbiologia e Parasitologia. UNIVILLE. 04/10/13.

Ocorrem pela proliferação benigna e autolimitada da pele, que regride com o tempo. Os tipos HPV-1 a HPV-4 infectam superfícies queratinizadas, em mãos e pés (a infecção inicial ocorre na infância e na adolescência). Causam dor e desconforto e podem se disseminar a outras partes do corpo ou para outras pessoas. O período de incubação pode durar de 3 a 4 meses. A aparência da verruga (abaulada, plana ou plantar) depende do tipo de HPV e do local infectado.

Tumores benignos de cabeça e pescoçoEditar

Papilomas orais únicos são tumores benignos da cavidade oral (são pedunculados, com uma haste fibrovascular e sua superfície de aparência áspera). São únicos e raramente recorrem após excisão cirúrgica. Papilomas laríngeos estão associados aos tipos HPV-6 e HPV-11, sendo tumores benignos da laringe. Em crianças, podem ser fatais, pois os papilomas podem obstruir as vias aéreas (também podem ser encontrados papilomas na traqueia ou nos brônquios).


Verrugas anogenitais (condilomas acuminados)Editar

Ocorrem no epitélio escamoso da genitália externa e região perianal. 90% dos casos são causados por HPV-6 e HPV-11 (as lesões geralmente são benignas).


Displasia e neoplasia cervicalEditar

Câncer-colo-uterino.jpg

Estágios do câncer de colo uterino (fonte:enfermagemparaamar.blogspot.com)

Infecção por HPV do trato genital é considerada uma DST comum. A infecção é assintomática, mas pode ter prurido leve. As verrugas genitais podem ser moles e de coloração castanha, formatos planos, elevados ou em forma de couve-flor. Podem surgir em semanas ou meses após o contato sexual com pessoa infectada. A infecção do trato genital feminino por HPV de tipo 16, 18, 31 e 45 está associada a neoplasia cervical intra-epitelial e câncer. As primeiras alterações neoplásicas percebidas são chamadas de displasia.  Acredita-se que o câncer cervical se desenvolva ao longo de uma série contínua de alterações celulares progressivas, desde neoplasias leves (neoplasia cervical intra-epitelial) e moderadas a neoplasias graves ou carcinoma in situ. 

Diagnóstico laboratorialEditar

Verrugas cutâneas – inspeção visual e análise histológica, com identificação de hiperplasia de células espinhosas e produção excessiva de queratina (hiperceratose);
Determinar presença de HPV por esfregaços de Papanicolau;
Coilocitose (citoplasma vacuolado) é uma característica de infecção por papilomavírus humano;
Sondas moleculares de DNA ou reação de PCR de esfregaços cervicais são métodos de escolha para o estabelecimento do diagnóstico e tipagem da infecção por HPV; 
Os papilomavírus não crescem em culturas de células.

TratamentoEditar

Verrugas são extraídas por crioterapia cirúrgica, eletrocauterização, vaporização a laser e substância citotóxica. Cirurgia é recomendada para papilomas laríngeos.
Hpv infograf.jpg

Vacina contra o HPV (Fonte: www.dzai.com.br)

Imiquimod, interferon ou fita adesiva podem promover uma cura mais rápida. Cidofovir tópico causa destruição das células infectadas por HPV, eliminando as verrugas.
Vacina: tetravalente em 3 doses. A vacina tetravalente e bivalente são vacinas recombinantes não infecciosas que contêm partículas semelhantes ao vírus, composta por proteínas L1 do HPV. A tetravalente contém partículas derivadas do HPV tipos 6, 11, 16 e 18. E a bivalente possui partículas tipo 16 e 18. Protegem contra as subespécies precursoras do câncer de colo. 

Prevenção e controle Editar

Evitar o contato direto com o tecido infectado

Fazer uso de preservativo 

HPV3.jpg

Resumo (fonte: www.sissaude.com.br)











Referências bibliográficasEditar

JAWETZ, E.; MELNICK, J. R; ADELBERG, E. A. Microbiologia médica. 25. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2012. 813 p.

MURRAY, P. R.; ROSENTHAL, K. S.; PFALLER, M. A. . Microbiologia médica. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2006 979 p.

MIURA, T. Y. Anotações da aula da disciplina Microbiologia e Parasitologia. UNIVILLE. 04/10/13.

Links relacionadosEditar

Texto: Questões sobre HPV - site do INCA

Vídeo: Diretora do instituto do HPV fala sobre vacinação

Vídeo: Entrevista com o médico Luís Fernando Correia sobre HPV

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória