Fandom

Wiki AIA 13-17

Reprodução e Genética em Procariotos

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editora: Maria Eduarda Kostecki

Colaboradora: Laíssa Mara Rodrigues Teixeira

IntroduçãoEditar

Um dos critérios que definem VIDA é a capacidade do organismo de gerar indivíduos semelhantes a ele. Portanto, quando a bactéria tem o potencial de reproduzir-se, ela está viva. Do contrário, é considerada morta, mesmo que metabolicamente ativa.

Obs: Uma célula esporulada é viva, pois mantém o potencial de se dividir.

Crescimento de uma célula microbiana: Tem como finalidade a divisão celular (replicação)

Crescimento de uma cultura microbiana: Aumento no número de células devido ao conjunto de bactérias ter se dividido, ou seja, crescimento populacional.

Caracteísticas:

- A reprodução em procariotos é apenas de forma assexuada;

- As células filhas são idênticas às células mãe;

- Não ocorre troca de material genético.

Fissão binária transversaEditar

Ocorre a replicação do cromossomo bacteriano e a célula desenvolve uma parede celular transversa, dividindo-se então em duas novas células.

Exemplo: Nitrosomonas

Fissão Binária Transversal.png

Anotações de aula - Prof. Paulo França, 2013












BrotamentoEditar

A célula-mãe expele uma célula-filha que “brota” originando uma nova bactéria. Após sucessivos brotamentos forma-se uma colônia.

Exemplo: gênero Mycobacterium

FragmentaçãoEditar

Realizada por bactérias de crescimento filamentoso. 

Exemplo: gênero Nocardia

ConídiosEditar

Esporos externos com fim de reprodução.

Exemplo: Streptomyces

Brotamento, Fragmentação e Exósporo.png

Anotações de aula - Prof. Paulo França, 2013









Variabilidade genética em procariotosEditar

Mutação: É qualquer mudança na sequência de bases no DNA.

Pode ser:

a) Letal: resulta em morte celular

b) Condicional: expressa apenas em determinadas condições ambientais


Mecanismo:

a) Espontânea: quando as causas que deram origem à alteração no DNA são desconhecidas

b) Induzida: quando ocorre exposição a agentes mutagênicos


Tipos: 

- Silenciosa: Alteração de bases nitrogenadas sem que haja alteração de aminoácidos na proteína codificada, uma vez que diferentes códons podem especificar o mesmo aminoácido. 

- “Missense”: Alteração de bases nitrogenadas que acarretam substituição de aminoácidos na proteína, podendo ou não alterar sua estabilidade ou funcionalidade.

- “Nonsense”: Alteração de bases nitrogenadas que acarretam a formação de um códon terminal, produzindo terminação prematura e produção de uma proteína truncada.

ConjugaçãoEditar

Através de uma conexão citoplásmatica (“pelo sexual”) entre duas células bacterianas ocorre a transferência unidirecional de informação genética de uma bactéria doadora para uma receptora. 

Exemplo: Escherichia coli

Tipos:

a) F+ x F-

A célula F+, durante o contato com um célula F-, transfere para esta última uma cópia do plasmídio F, tornando-a F+. 

b) Hfr (Alta frequência de Recombinação)

Nessa linhagem somente parte do fator F é transferida conjuntamente com parte do cromossomo da doadora F+. Portanto, nesse caso a célula receptora permanece F- após a conjugação.

Conjugação.gif

Disponível em: http://pathmicro.med.sc.edu/portuguese/bact8-6.GIF

     









      

TransformaçãoEditar

Algumas bactérias conseguem adquirir trechos de moléculas de DNA ou plasmídios livres no meio extracelular e incorporá-los ao seu DNA.

Exemplo: Streptococcus pneumoniae

Transformação.png

Disponível em: scienceblogs.com.br










TransduçãoEditar

É o tipo de reprodução bacteriana mais frequente.

Um vírus vetor (bacteriófago) leva informações genéticas de uma bactéria a outra. Quando o bacteriófago entra numa célula bacteriana, o DNA do vírus mistura-se com uma parte do DNA bacteriano, de modo que o vírus agora carrega esta parte do DNA. Se ele infectar uma segunda bactéria, o DNA da primeira bactéria poderá misturar-se com o DNA da segunda bactéria.

A transdução pode ser classificada como:

a) Generalizada: quando a incorporação de fragmentos de DNA é randômica devido a um empacotamento acidental

Transdução Generalizada.gif

Disponível em: http://pathmicro.med.sc.edu/portuguese/chapter_8_bp.htm







b) Especializada: se os fagos em questão incorporarem sequências específicas de DNA da célula hospedeira


ReferênciasEditar

KOSTECKI, M. E. Anotações da aula da Disciplina de Microbiologia e Parasitologia. UNIVILLE. 14/03/2013 

MURRAY, P. R; ROSENTHAL; K. S. PFALLER, M. A; Microbiologia Médica. Editora: Elsevier, Rio de Janeiro, 2006

Bacteriologia - Capítulo 08 - Troca de informação genética. Disponível em: <http://pathmicro.med.sc.edu/portuguese/chapter_8_bp.htm> Acesso em: 16/04/2013 

Crescimento Populacional de Bactérias. Disponível em: <http://professor.ucg.br/siteDocente/admin/arquivosUpload/3909/material/Crescimento%20Populacional%20de%20Bact%C3%A9rias.pdf> Acesso em: 16/04/2013 

Links relacionadosEditar

Cruzamento de Linhagens Bacterianas F+ com F-

Cruzamento de Linhagens Bacterianas Hfr com F-

Transformação Bacteriana:

Transdução Generalizada

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória