Fandom

Wiki AIA 13-17

Sintomas e formas de abordá-los

333 pages em
Este wiki
Adicione uma página
Comentários0 Share

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Editor: Airton J. Camilotti Jr

Colaboradores: Danilo Burko, Guilherme Garrido, Larissa Fabri, Luiz Brandão e Oquesana Silva


Sintomas geraisEditar

  • Febre: é uma elevação anormal da temperatura corporal. Pesquise sua presença quando o paciente tiver alguma doença aguda ou crônica, pode estar acompanhada ou não de outros sintomas como: cefaléia, náusea, vômito, sede, calafrios, etc.
  • Astenia: sensação de fraqueza quase sempre acompanhada de mal-estar indefinido que só melhora com o repouso. Na astenia não há perda de capacidade muscular pois caso isso ocorra passa a ser chamado de miastenia.
  • Adinamia: termo médico usado para designar a redução da força muscular, debilitação muscular e fraqueza. Uma indisposição geral que pode ser oriunda de causas físicas ou psicológicas.
  • Alteração do peso: quando há um aumento ou diminuição do peso é necessário caracterizar em quanto tempo ouve a alteração e relatar o valor que alterou nesse espaço de tempo.
  • Sudorese: eliminação abundante de suor, podendo ser generalizada ou predominantemente nos pés e mãos.
Sudorese.jpg

http://www.unimed.coop.br/pct/index.jsp?cd_canal=50252&cd_secao=50517&cd_materia=288356






  • Calafrios: são caracterizados por arrepios ou contrações e relaxamentos musculares involuntários e muito rápidos que atravessam todo o corpo e a cabeça. Procurar correlacionar com febre.
  • Prurido: sensação desagradável que provoca o desejo de coçar, podendo ser generalizado ou localizado (olhos, narinas, vulva, ânus). As causas do prurido generalizado incluem ressecamento da pele, velhice, gravidez, uremia, icterícia obstrutiva, linfomas e leucemia.
  • Alterações do revestimento cutâneo: áreas de anestesia, alteração da temperatura e lesões cutâneas.
  • Alterações do desenvolvimento físico: incluem o nanismo, gigantismo, acromegalia, infantilismo, puberdade precoce e puberdade tardia. 

Cabeça e pescoçoEditar

  • Dor: localizar o mais corretamente possível a sensação dolorosa. A partir dai pergunta-se as outras características semiológicas da dor (tipo de dor, irradiação, duração, intensidade, fator de melhora, fator de piora).
  • Alteração de cabelos e pêlos: investigar o tempo em que vem ocorrendo e a quantidade da perda de cabelos e pêlos. Notar também o surgimento de pêlos faciais em mulheres.
  • Alteração dos movimentos: paralisias, tiques e movimentos involuntários são os mais presentes.
  • Tontura: é um sintoma que geralmente se refere a uma perturbação do equilíbrio corporal. As pessoas que sofrem desse sintoma geralmente se sentem zonzas, com a cabeça "leve" e a sensação de estar caminhando em um colchão.
  • Vertigem: é a falsa percepção de estar girando em torno dos objetos ou os objetos girando em torno de si. Essas sensações indicam basicamente um problema no ouvido interno, no nervo coclear ou em suas conexões centrais no cérebro.


Labirinto-imagem.jpg

http://www.sentirtontura.com.br/o-que-e-vertigem






OlhosEditar

"Que tal sua visão?" e "Você tem tido algum problema de visão?" São perguntas iniciais adequadas para se iniciar a investigação sobre problemas oculares.

  • Dor ocular e cefaléia: bem localizada pelo paciente ou de localização imprecisa.
  • Sensação de corpo estranho: sensação desagradável quase sempre acompanhada de dor.
  • Queimação ou ardência: pode ser causada por muitas situações, sendo que as mais comuns são devido a lubrificação inadequada dos olhos.
  • Lacrimejamento: eliminação de lágrimas independente do choro. Pode acontecer por diferentes motivos, como: conjuntivites, úlcera de córnea, inflamação interna dos olhos, aumento da pressão nos olhos de recém nascidos, corpo estranho na superfície dos olhos, etc.
  • Sensação de olho seco: sensação de secura como se o olho não tivesse lágrimas.
  • Xantopsia: perturbação da visão em que uma coloração amarela uniforme parace cobrir todos os objetos.
  • Iantopsia: perturbação da visão em que uma coloração violeta uniforme parece cobrir todos os objetos.
  • Cloropsia: perturbação da visão em que uma coloração verde uniforme parece cobrir todos os objetos.
  • Diminuição ou perda da visão: pode ser súbita ou gradual, acomentendo um ou ambos os olhos (uni ou bilateral). A correção parcial ou total deve ser feita com a utilização de óculos ou lentes de contato.
  • Diplopia: visão dupla, podendo ser constante ou intermitente. A diplopia pode ser horizontal, onde as imagens ficam lado a lado ou vertical, onde uma imagem fica sobre a outra.
  • Fotofobia: pode ser definida como sensibilidade excessiva à luz, que leva a um desconforto nos olhos. Pode vir acompanhada de vermelhidão e lacrimejamento.
  • Nistagmo: são oscilações repetidas e involuntárias rítmicas de um ou ambos os olhos. Pode ser originada de labirintite, catarata congênita ou outras causas neurológicas.
  • Escotomas: manchas ou campos escuros no campo visual, descritas como manchas, moscas que voam diante dos olhos ou pontos luminosos.
  • Secreção: líquido purulento que recolhe a superfície externa dos olhos.
  • Alucinações visuais: sensação de luz, cores ou reprodução de objetos.
  • Inflamações
  • Exoftalmia: olhos protuberantes são a protrusão anormal (projeção) de um ou ambos os globos oculares. O hipertireoidismo (especialmente a doença de Graves) é a causa mais comum de olhos protuberantes.
  • Catarata: lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino, o que compromete a visão. A catarata pode ser congênita ou adquirida.
Catarata.jpg

http://www.96fmarapiraca.com.br/noticias/editoria/saude/catarata/4153

  





OuvidosEditar

As perguntas abertas sobre os ouvidos são: "Como está sua audição?" e "O senhor tem algum problema de ouvido?" Se o paciente observou perda auditiva, está é uni ou bilateral? Começou de repente ou aos poucos? Existem sintomas associados? Quais?

  • Dor
  • Otorréia: secreção oriunda do ouvido. Investigar a cor, odor, aspecto e o volume do líquido.
  • Acuidade auditiva: perda parcial ou total da audição, podendo ser uni ou bilateral de início súbito ou progressivo.
  • Zumbido: é a percepção de um ruído sem que haja estímulo externo (campainha, grilo, apito, chiado, cachoeira, bater de asas de borboleta, jato de vapor, zunido, etc).
  • Vertigem: citado anteriormente.
  • Otorragia: perda de sangue pelo canal auditivo. Relação com traumatismo.

NarizEditar

Verifique a cronologia do problema. Os sintomas duram cerca de uma semana e associam-se às épocas de maior prevalência de resfriados comuns e síndromes afins, ou a um padrão sazonal, relacionado à presença de pólen do ar? Existe associação com contatos ou ambientes específicos? Que remédios o paciente usou? Por quanto tempo? Qual a sua eficácia?

  • Dor
  • Espirros: podem ser isolados ou em crises. Indagar o paciente em que condições ocorrem, procurar relacionar locais e substâncias.
  • Obstrução nasal: verificar se é uni ou bilateral, se essa obstrução é parcial ou total e se a mesma é acompanhada ou não de secreção.
  • Corrimento nasal: verificar o aspecto se é aquoso, purulento, sanguinolento e o odor.
  • Epistaxe: significa sangramento nasal.
  • Cacosmia: consiste em sentir mau cheiro sem razão para tal.
  • Parosmia: alteração do olfato.
  • Hiposmia: diminuição do olfato.
  • Anosmia: perda do olfato.
  • Aumento do olfato: pode ser transitório ou permanente.

Cavidade bucal e anexosEditar

Investigue se há lesões locais e se o paciente apresenta tendência a sangramento ou equimoses em outras regiões do corpo.

  • Alteração do apetite: pode ocorrer polifagia (ingesta excessiva de alimentos) ou hiporexia (diminuição do apetite).
  • Sialose: produção excessiva de secreção salivar.
  • Halitose: alteração do hálito que o torna desagradável, podendo significar ou não uma mudança patológica.
  • Dor de garganta: pode ser expontânea ou provocada pela deglutição.
  • Disfagia: dificuldade em deglutir.
  • Odinofagia: dor ao deglutir.
  • Dispnéia: dificuldade para respirar.
  • Tosse: pode ser seca ou produtiva. Investigar a quanto tempo vem ocorrendo e caso seja produtiva analisar o aspecto, volume, cor, odor e o tipo (mucóide, serosa, purulenta, mucopurulenta, sanguinolenta ou mucosanguinolenta).
  • Sialoquieze: boca seca.
  • Pigarro: afecção muito comum, geralmete relacionada ao tabagismo e estados gripais.
  • Alteração da voz: disfonia (alteração na produção da voz), afonia (perda total ou parcial da voz) e rinolalia (distúrbio na fonação acarretando em voz fanhosa ou anasalada).

Cárdio-respiratórioEditar

  • Dor torácica: localizar o mais corretamente possível a sensação dolorosa. A partir daí pergunta-se as outras características semiológicas da dor (tipo de dor, irradiação, duração, início, fator de melhora, fator de piora). As principais origens de dor torácica são as seguintes: miocárdio, pericárdio, aorta, esôfago, pleura parietal, traquéia e os brônquios.
  • Palpitação: percepção desagradável do batimento cardíaco. Palpitações não necessariamente indicam doença cardíaca, as arritmias mais graves como a taquicardia ventricular muitas vezes não produzem palpitações.
  • Alteração da forma do tórax: podem ser localizadas e da caixa torácica como um todo.
  • Dispnéia: constitui uma percepção indolor, porém incômoda, do ato da respiração, inadequada as circunstâncias. A dispnéia comumente decorre de doença cardíaca ou broncopulmonar, embora seja frequente a associação com ansiedade.
  • Dispnéia paroxística noturna: episódios de dispnéia súbitos, que acordam o paciente e, em geral, ocorrem 1 a 2 horas após ter se deitado.
  • Edema: acúmulo excessivo de líquidos nos espaços intersticiais, que se manifesta como inchaço. Verificar a época do aparecimento, como evoluiu, local que predomina, fatores de melhora e piora.
  • Cianose: coloração azulada da pele. Verificar a época do aparecimento e a intensidade.
  • Tosse: citado anteriormente.
  • Hemoptise: consiste em tossir ou cuspir sangue, podendo variar de escarro com raias de sangue a sangue puro. 
  • Epistaxe: sangramento que se origina da mucosa das fossas nasais.
  • Hematêmese: é a saída pela boca de sangue com origem do sistema gastrointestinal, habitualmente do esôfago ou do estômago.Pode ser causado por ruptura de varizes esofágicas ou ulceração com hemorragia do estômago.
  • Vômica: eliminação súbita através da glote de quantidade abundante de pús ou líquido de aspecto mucóide ou seroso.
  • Chieira: ruído sibilante percebido pelo paciente durante a respiração. Observar relação com a dispnéia, se é uni ou bilateral e o horário que predomina.
  • Cornagem: ruído grave provocado pela passagem de ar pelas vias respiratórias altas que estão reduzidas de calibre.
  • Sopro cardíaco: pesquisar com o paciente a existência de tal.
  • Pressão arterial: indagar sobre qual é a P.A do paciente.
  • Alteração do sono: indagar o paciente se o mesmo encontra-se com insônia, sono inquieto ou sonolência.
  • Lipotimia: sensação de desmaio. É momentâneo e geralmente ocorre escurecimento da visão, não havendo perda da consciência.
  • Síncope: perda da consciência. Indagar a situação em que ocorreu, duração e manifestações que vieram após a síncope.
  • Astenia: citado anteriormente. 

DigestórioEditar

  • Apetite: desejo de comer, alimentar-se, a fome sentida.
  • Intolerância a alimentos: é caracterizado pela incapacidade de digerir determinados alimentos pela falta de alguma enzima que é necessária para a correta digestão desse alimento.
  • Alteração da forma e do volume: crescimento do abdome (hérnia, tumorações).
  • Disfagia: é a dificuldade para engolir, a sensação de que o alimento ou os líquidos estão "grudando", "prendendo" ou "não descem direito". Pode decorrer de distúrbios esofagianos (disfagia baixa) ou dificuldade na transferência dos alimentos da boca para o esôfago (disfagia alta).
  • Pirose: sensação de queimação retro-esternal.
  • Náusea: sensação de mal estar e desconforto no estômago superior e na cabeça com uma vontade de vomitar.
  • Vômito: expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Deve-se avaliar o horário em que aparece, características e relação com a ingesta de alimentos.
  • Dispnéia: conjunto de sintomas constituído de desconforto epigástrico empanzimanento, sensação de digestão por gazes, náuseas, intolerância a certos alimentos.
  • Dor abdominal: investigar se esta dor é de localização contínua ou cólica.
  • Distenção abdominal: sensação de gazes no abdome.
  • Eructação: eliminação de gazes pela boca (arroto). Relação com a ingestão de alimentos ou alterações emocionais.
  • Flatulência: eliminação de gazes pelo reto.
  • Hematêmese: vômito com sangue vivo. Ocorre devido a uma hemorragia digestiva alta ou ulcerações a nível de esôfago. Difere de epistaxe e hemoptise.
  • Melamênese: vômito com sangue digerido.
  • Vômito fecalóide: vômito com fezes presentes. Tomar cuidado para não confundir com melamênese, para evitar tal situação notar o odor e indagar o paciente o gosto do vômito. 
  • Meteorismo: quando ocorre muitos gazes na cavidade abdominal mas não ocorre a eliminação destes, resultando assim em distenção abdominal.
  • Melena: eliminação de sangue digerido pelas fezes (borra de café). Causada por hemorragia digestiva alta.
  • Enterorragia: eliminação de sangue vivo pelas fezes. Causada por hemorragia digestiva baixa.
  • Sangramento anal: relação com a defecação.
  • Prurido: citado anteriormente.
  • Hematoquezia: quando pinga sangue do ânus. Geralmente ocorre devido a ulceração a nivel retal.
  • Tenesmo: aumento do peristaltismo, cólica.
  • Constipação: abolição dos hábitos intestinais.
  • Diarréia: consiste na evacuação de fezes líquidas de forma frequente e sem controle. Investigar a duração, volume, consistência, aspecto e cheiro.
  • Disinteria: diarréia com presença de sangue.
  • Hemorróida: veias distendidas na junção do reto e do canal anal.
  • Icterícia: mudança da coloração da pele e dos olhos para o amarelo, devido ao aumento de bilirrubina. Verificar a intensidade, duração e evolução. Relacionar com a cor das fezes e urina.
  • Hábito intestinal: indagar quantas vezes ao dia o paciente defeca.
  • Regurgitação: volta a cavidade bucal de alimento ou secreções contidas no esôfago ou estômago.
  • Soluço: é provocado por um espasmo do diafragma que é acompanhado simultaneamente pelo fechamento da glote. Investigar os horários que aparece e se é isolado ou em crises.
  • Esteatorréia: eliminação de fezes com gordura. 

Sistema genitourinárioEditar

Os distúrbios das vias urinárias podem causar dor nas costas ou no abdome. A dor de origem renal é sentida posteriormente no rebordo costal ou abaixo deste, próxima ao ângulo costovertebral. Pode-se irradiar para frente em direção ao umbigo.

  • Incontinência: refere-se a eliminação involuntária de urina que se torna um problema social ou higiênico, devido a dificuldade de reter a urina por muito tempo. Em geral indica um distúrbio na bexiga ou uretra.
  • Hesitação: desejo incomumente intenso e imediato de urinar.
  • Modificação no jato urinário: resultante de obstrução parcial do fluxo urinário na bexiga.
  • Alterações da cor da urina: urina turva, hematúria (sangue na urina), hemoglobinúria (hemoglobina na urina), mioglubinúria (enzimas do músculo na urina) porfirinúria (porfirina na urina).
  • Alterações no cheiro da urina: mal cheiro.
  • Edema: citado anteriormente.
  • Febre: calafrios associados.
  • Poliúria: aumento do volume da urina.
  • Oliguria: diminuição na produção da urina.
  • Anúria: ausência na produção de urina.
  • Disúria: dificuldade em urinar.
  • Nictúria: aumento da frequência urinária noturna.
  • Polaciúria: micção várias vezes ao dia com pequeno volume.
  • Noctúria: necessidade de levantar a noite para esvaziar a bexiga.

Orgãos genitais masculinosEditar

Nos homens, as perguntas sobre o sistema genital acompanham naturalmente as vinculadas ao sistema urinário. Concentram-se em sintomas locais e na função sexual.

  • Priapiso: ereção persistente, dolorosa e sem desejo sexual.
  • Hemospermia: presença de sangue no esperma.
  • Corrimento uretral: é definido como a identificação de um grupo de sintomas e sinais comuns a determinados agentes etiológicos que podem ser adquiridos nas práticas sexuais desprotegidas, podendo causar reação inflamatória na uretra masculina.
  • Disfunções sexuais: as mais comuns são: impotência sexual, ejaculação precoce, ausência da ejaculação, anorgasmia, diminuição do libído, síndrome por deficiência de hormônios testiculares (síndrome de Klinefelter, puberdade atrasada).

Orgãos genitais femininosEditar

  • Ciclo menstrual: investigar duração dos ciclos e de quantos dias é o mesmo.
  • Polimenorréia: ciclos menstruais anormalmente frequentes.
  • Oligomenorréia: diminuição do fluxo menstrual.
  • Amenorréia: ausência de períodos menstruais.
  • Hipermenorréia: sangramento prolongado por mais de 8 dias ou quantidade excessiva maior que 80ml.
  • Hipomenorréia: fluxo menstrual de duração menor que 3 dias ou quantidade inferior a 30ml.
  • Menorragia: excesso de fluxo de sangue na menstrução.
  • Dismenorréia: transtorno na menstrução.
  • Hemorragias: relação com o ciclo menstrual.
  • Tensão pré menstrual: engloba vários sintomas observados por algumas mulheres 4 a 10 dias antes da menstruação.
  • Corrimento: tipo de secreção que é um bom indicador da saúde da mulher. Quando normal possui consistência aquosa ou mucosa e de coloração branco leitosa. Analisar o aspecto, quantidade, odor, e relação com as diferentes fases do ciclo menstrual.
  • Prurido: citado anteriormente.
  • Menarca: primeira menstruação, indagar a idade em que ocorreu.
  • Coitarca: primeira relação sexual, indagar a idade em que ocorreu.
  • Disfunções sexuais: dispauremia (coito doloroso), frigidez, diminuição do libído, anorgasmia.
  • Menopausa: desaparecimento da menstruação. Geralmente ocorre entre os 45 e 52 anos de idade. Indagar a paciente em que idade ocorreu.
  • Metrorragia: sangramento sem ser da menstruação.

Sistema linfohematopoiéticoEditar

  • Astenia: citado anteriormente. É de instalação lenta ou progressiva.
  • Palidez: é um sinal sintomático caracterizado pela falta de sangue em determinada área corporal.
  • Hemorragias: petéquias (pequeno ponto vermelho no corpo), equimoses (derrame sanguíneo na pele traumatizada devido a contusão), hemorragia (é caracterizada por uma intensa perda de sangue por algum orifício ou corte para dentro ou para fora do corpo), gengivorragias (hemorragia espontânea que se produz nas gengivas), hematúria (sangue na urina), hemorragias digestivas.
  • Infecções frequentes
  • Adenomegalia: aumento dos linfonodos do pescoço.
  • Febre: citado anteriormente.
  • Esplenomegalia: aumento do volume do baço.
  • Hepatomegalia: aumento do volume do fígado.  

Esqueleto, articulações e músculosEditar

  • Espasmo muscular: contração involuntária.
  • Dor articular: é frequente e geralmente está associada a tensão, ao stress ou a esforços musculares. Verificar a localização, quantas articulações comprometidas, horário de maior dor, fatores de melhora e piora.
  • Sinais flogísticos: edema, rubor, calor e dor. Localizar a região afetada.
  • Atrofia muscular: é caracterizada pela diminuição do volume muscular causado pela inatividade. Verificar a localização.
  • Trauma: é uma lesão ou ferida mais ou menos extensa, produzida por ação violenta de natureza física ou química. Indagar quando ocorreu e a quanto tempo.
  • Perda ou diminuição da força
  • Adinamia: redução da força muscular, debilitação muscular e fraqueza.
  • Claudicações: dor nos membros inferiores causada por insuficiência arterial.
  • Deformidades: Verificar a localização e a causa.
  • Fraturas: Indagar se ocorreu e em que locais.

Sistema neuropsíquicoEditar

  • Paralisia: privação ou diminuição considerável do movimento voluntário e da sensibilidade.
  • Atrofia: não desenvolvimento.
  • Movimentos involuntários: como tiques.
  • Convulsão: contração involuntária e desordenada dos músculos.
  • Incoordenação: falta de coordenação.
  • Parestesias: são sensações peculiares de vários tipos, sem estímulo evidente. Incluem formigamento, alfinetadas e sensação de calor, frio e compressão.
  • Paresias: paralisia imcompleta, parcial.
  • Anestesia: perda da sensibilidade. Pode ser localizada ou generalizada.
  • Nervosismo: característica biológica do ser humano que antecede momentos de perigo real ou imaginário.
  • Desajustes emocionais: desequilíbrios que afetam a alma e podem ser tratados por psiquiátras em casos mais graves ou por psicólogos em casos mais brandos.
  • Alucinações: é a percepção real de algo que não existe, ou seja, são percepções sem um estímulo externo.
  • Sonilóquio: é a fala que ocorre durante o sono.
  • Pesadelos: é um sonho penoso com sensação de opressão torácica e dispnéia, terminando com um despertar sobressaltado ou agitado e com ansiedade.
  • Terror noturno
  • Sonambulismos: andar dormindo, em sonhos.
  • Briquismo: atrito entre os dentes durante o dia, pode-se ranger ou não os dentes.
  • Enurese noturna: hábito de urinar na cama.
  • Insônia: incapacidade de conciliar o sono e pode manifestar-se em seu período inicial, intermediário ou final.
  • Sonolência
  • Irritabilidade: resposta excessiva a um estímulo.
  • Distúrbios da consciência: obnubilação, estado de coma.
  • Dor de cabeça e na face: verificar a localização e outras características semiológicas.
  • Tontura e vertigem: citado anteriormente.
  • Convulsão: verificar se é localizada ou generalizada, se é tônica ou clônica, manifestações ocorridas antes (pródromos) e depois. Classificar como convulsão quando o paciente relatar inconsciência, sialose e perda do controle esfincteriano.
  • Ausências: breves períodos de perde de consciência.
  • Amnésia: Perda de memória, podendo ser transitória ou permanente. Relação com traumatismo craniano e ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.
  • Distúrbios visuais: ambliopia (enfraquecimento da vista), amaurose (perda parcial ou total da visão), hemianopsia e diplopia.
  • Distúrbios auditivos: hipoacusia (diminuição da capacidade auditiva), acusia (perda total da capacidade auditiva) e zumbidos.
  • Distúrbios da marcha: disbasia (dificuldade de andar, por falta de coordenação dos movimentos em decorrência de distúrbios nervosos).
  • Distúrbios esfincterianos: bexiga neurogênica (disfunção na bexiga urinária que faz com que o indivíduo não consiga controlar a sua urina), incontinência fecal (incapacidade de controlar a eliminação das fezes).  

Sistema endócrino e metabólicoEditar

  • Alteração no tamanho e crescimento: verificar o tamanho da cabeça, extremidades e mandíbula.
  • Modificações fisionômicas: indagar o paciente a quanto tempo vem ocorrendo.
  • Polidpsia: sede excessiva persistente. Sintoma clássico do diabetes mellitus descompesado.
  • Poliúria: citado anteriormente.
  • Polifagia: fome excessiva.
  • Glicosúria: presença de glicose na urina.
  • Tremores: movimentos musculares involuntários:
  • Resistência ao jejum
  • Intolerância ao frio e ao calor 

Referências bibliográficasEditar

  • BATES, Barbara. Propedêutica médica. Rio de Janeiro. Guanabara, 2001.
  • CAMILOTTI, Airton Jr. Anotações da aula da Disciplina de Propedêutica Médica. UNIVILLE 09/09/2013.
  • PORTO, Celmo Celeno. Semiologia Médica, 5 ed - Rio de Janeiro, 2005.

Links externosEditar

Mais da comunidade Wikia

Wiki aleatória